Seguidores

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Das mãos destilam o açucar...(docinho ...nossa Rachel)






















Destino

Deixei-me estar
Ao longo dos mistérios,
Fiquei na perplexidade das coisas,
Na metafísica do universo.
Amei cada objeto, cada instante.
Vivi as incertezas dos labirintos.

Para além de meu ritmo
Respirei as constelações
E na orla de meu destino
Um mistério descansa.


Rachel



Um comentário:

Dolores Quintão Jardim disse...

Leninha-Solzinho!


Ela é mesmo um doce!
E, este poema com esta bela ilustração...ficou lindo! lindo!

Obrigada, amiga LUZ!