Seguidores

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Boas Festas

Desejando a todos que seguem os meus blogs, que tenham passado um Natal com muita paz e harmonia.Que esta mesma paz e harmonia permaneça durante todos os dias de suas vidas. Boas Festas! Boas Férias!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Projeto Poetas da Escola - Professora Jane Rossi



Aconteceu, no meio escolar mais um lançamento do Projeto Poetas da Escola "SEMENTES DA PAZ".
Sob a coordenação da Professora Jane Rossi, escritora, poeta, antologista e ativista cultural.Representante da Falasp em Guarulhos, Senadora Cultural da Febacla por Guarulhos, Cônsul por Guarulhos em Poetas Del Mundo, Embaixadora da Paz/Cercle Iniversel des Ambassadeurs de La Paix.


"Plantar a semente, regar, cultivar e com o manto da paz poderemos sonhar"
                         Professora Jane Rossi.

Parabéns aos alunos poetas e a todos que participaram deste projeto.


                                                                 (Foto- Professora Jane Rossi)

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Terezinha C Werson.

Sonhos.

Nasci, sonhando...
Meu primeiro choro,
foi de sonhos
cresci entre flores, e espinhos...
Meus dias, e minhas noites,
foram de sonhos,
em todas estradas,
haviam sonhos
e entre os sonhos me perdi...

Andei entre nuvens, e estrelas
andei sobre rosas,
e lá nas nuvens falei com Deus
cantei um coro, com todos os anjos
andei entre árvores orvalhadas
andei na relva macia
deitei na sombra da floresta fria,
chorei sentada na relva macia

Andei sobre as águas do mar revolto
contei as ondas bem devagar...
Olhei o mar, e vi tanta beleza
eu vi tristeza e vi solidão.
Um pouco foi sonho
um pouco verdade.

Terezinha C Werson.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Maia de Melo Lopo







QUERO GRITAR                                     (Imagem Maia de Melo Lopo- a autora)


Quero gritar á chama longínqua, que se espalha como uma viajante, mas vive trancada nas grades do coração e o coração é um animal desenfreado, intranquilo, que vai aos lugares mais loucos e secretos da crueza humana. No orgulho ou desprezo de palavras vãs e banais se contradizem, sem vergonha da razão criam dúvidas sobre nós, com astúcia e mesquinhez desmentem-nos, confundem a marcant
e verdade, arrastam-nos na lama e no movimento da eternidade.

Quero gritar aos corações de malícia, que rasgam a carne viva no maldizer e se aproveitam de todos os vírus da alma, traem o perdão, distorcem os nossos sonhos, são vira-casacas a fazerem ruir o encanto na face, fingidos traidores fungam lágrimas de vítimas e que lhes tomem as dores, serem recompensados do pouco que são, ignorantes que cegam e deliram, armam ciladas e intrigas, humilham na malvadez venenosa, e na avareza injustamente nos desacreditam sem honradez.

Quero gritar ao essencial amor-próprio para resistir a chantagens de quem confiámos e desonestamente em doentes queixumes nos avaliam mal, na cobardia fazem-se despercebidos, simulam que não duvidam de nós, extraem o disfarce no egoísmo, exibem-se, riem da nossa mãe e fingem gostar dela, soltam raiva sem se libertarem da mentira, tomam partidos, economizam a severa vingança só para nos monopolizarem a mente, fazerem-nos tristes afectivos, culpados e ridículos.

Quero gritar às gotas de sangue que bombeiam a dor de muitas feridas, apaziguam o tormento dos pobres infelizes, pois sentir-nos amados pelo Universo é uma coisa, sermos amados é outra. Só Ele nos conforma as razões da alma e nas farpas o poder de tolerar, considerar, ver a dança da borboleta, ao longe o fascínio da bela pomba, o grito alegre da pura criança, a amiga iludida que se perde na melodia de um perfume, a luz da paz que nos vigia e a bênção do amor ao abandono.

Maia de Melo Lopo. 12. Lisboa Portugal.

Tema exigido para o poema da Revistinha, publicação do poeta Marcos Toledo./Rio de Janeiro.

João Alves

Ponto De Saudade...
Querida como vai você...
Quanto tempo eu não te vejo...
Quanta saudade quanta
Esperança para te encontra...
Eu só queria saber como vai você...
Eu não lembro o seu rosto o seu
Sorriso a sua alegria...
Eu só não esqueci foi a beleza
Do nosso amor...
Como tinha a beleza de uma rosa 
Se abrindo com suas pétalas maravilhosas...

E o vento levando todas para cada
Direção...
E assim eu vivo com esta saudade
Que ainda faz parte do nosso amor...
Onde você estiver eu quero saber...
Como vai você, até o tempo mudou...
E eu com os cabelos embranquecidos
Pelo tempo que vivemos tão distante...
E o meu coração como sofre por
Não ter você...
Que até as batidas é um ponto de
Saudade...
Eu sempre quero saber como vai
Você meu grande amor...

João Alves O Poeta

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

João Alves O Poeta

Como Eu Te Amo...

Foi difícil para chegar há esta formação,
Que entrou na minha vida.
E cheguei há perceber até descobrir
Por que hoje eu te amo.
E sempre te amarei.
Com esta alegria formada pelo meu
Coração, em falar para você que é
A minha alegria de viver.
Tudo por que eu te amo.
Na felicidade com este lindo olhar.
Eu só sei que nesta vida em ter você
Assim para falar que hoje eu te amo.

Com toda esta razão que você sempre
Vive dentro do meu coração.
Que hoje eu te amo.
Esta palavra ficou no ar.
Há espera de uma resposta.
Que fiquei há imaginar por que
Hoje eu te amo.
Com esta esperança de um amanhecer,
Que hoje eu te amo.
E amanhã será o nosso futuro assim eu
Quero sempre você, não importa há razão
Tudo por que hoje eu te amo.
Por isto você já comanda o meu coração
Grande amor...

João Alves O Poeta

João Alves O Poeta

Só Um Adeus...

Se você não me encontrar nunca mais
Perdoe-me por eu te amar perdoe-me
Por eu sofrer por você...
Perdoe-me por eu sentir saudade...
Perdoe-me Por eu não ter mais paciência...
Perdoe-me por eu não ter mais força
Para segurar a minha vida...
Eu não consegui ela levou todo meu
Passado de alegria...
Ela também levou a minha tristeza...
Ela levou a minha consciência sobre
O amor...
Ela levou também esta dor que eu
Não consegui me livrar do sofrimento
Do meu melhor amigo que me avisava
Que eu ia ver você...

Estamos falando do meu coração...
E para completar levou também
A minha esperança de paz...
E você tinha tudo para me ajudar
Há viver...
Adeus amor na minha partida deste
Mundo leve uma flor não importa
A cor...
Se você vê nos meus lábios um
Sorriso era o ultimo de uma
Alegria...
O mundo ensina a viver a sofrer
Como eu sofri por um grande
Amor...

João Alves O Poeta

João Alves O Poeta

Á Beleza Deste Mar...

Eu sou o sol a lua e as estrelas também
Eu sou esta beleza deste mar...
Eu vivo neste universo e não canso de
Amar-te...
Com a beleza das rosas que nasceu no
Seu jardim, para alegria da sua vida e
Este amor que vive em mim...
Já entrei no seu coração e tomei conta
Deste lindo lugar...
Não quero pagar aluguel trocamos com
O amor que eu vou lhe dar...

Com carinho e alegria isto não pode faltar
Se faltar alguma coisa estou pronto para
Pagar...
Com beijos paz e felicidade também você
É o meu lindo amor não precisa contar
Para ninguém...
Só Deus pode saber este amor que tenho
Para você...
É uma beleza completa para ver e admirar
Pode perguntar até para Deus que ele vai
Explicar-lhe...
E falar deste poeta que apareceu para te
Amar...
E já estar dentro do meu coração é com
Certeza que aqui é o seu lugar...
Meu grande amor...

João Alves O Poeta

João Alves O poeta

Para Eternidade...
Se eu não te amasse como eu
Poderia viver...
Não tinha nem alegria com
A saudade de você...
Que fez o meu coração abrir
A porta para este amor entrar...
Seja bem vinda que aqui é o seu
Lugar...
Para este amor que sempre me
Elogia com o meu carinho são os
Beijos é o que lhe chama
Mais atenção...
E os beijos de amor para minha
Eterna paixão...

Que chegamos até flutuar neste
Céu com todo prazer...
Não sabemos quando vamos voltar
Se nós estivermos dormindo não
Pensamos em acordar...
Para não se afastar do meu amor...
Pode até o mundo se acabar...
Que deste meu amor eu não vou
Separar-me...
Vamos viver para a eternidade
Com este amor sem fim...
Eu amo esta linda princesa...
Que o meu coração sempre vai
Falar...
Que este amor é tão lindo igual
As rosas deste lugar...
E eu vivo eternamente para
Sempre lhe amar...

João Alves O Poeta

João Alves O Poeta

Grão “De” Areia...

Leve com você toda paz que o mundo,
Oferece-lhe leve esta alegria também.
Pode levar esta felicidade para completar,
Leve esta primavera com suas flores leve
Os lírios dos campos do vale mais precioso
Para o amor. Leve um pouco de saudade
Para conquistar esta paz.

Não se esqueça de levar o brilho da lua para
Aquecer-te. Leve este lindo sol em um dia
De verão é o céu mais lindo e suas
Nuvens onde os pássaros fazem a festa.
De alegria para os olhos de cada pessoa. Não
Esqueça, leve também a mensagem do poeta
Para que as palavras cheguem até o seu coração.
E sinta toda paz e a liberdade do oceano.
E não esqueça leve também um grão de areia Deste mar. Tudo porque te amo muito como a
Primavera ama suas flores.

João Alves O Poeta

terça-feira, 2 de outubro de 2012

domingo, 30 de setembro de 2012

Carlos Neves

                                                    (Imagem Rosane )
Passeio Noturno

Esta noite fui ao teu encontro
E encantei-me com a beleza
De tua linda alma.
Saímos a passear pelo astral
E paramos para trocas
De caricias diante das estrelas.
Estavas magistralmente bela
E radiante de alegria.
Esta noite fui feliz ao teu lado
Beijando tua alma.

Carlos Neves.

Carlos Neves

O Anjo

Eras o anjo que ajudei um dia
A tratar de suas asas quebradas.
Naquele momento abriu um clarão no céu
E anjos cataram a Ave Maria.

Nascia o amor mais lindo do universo.
Tua alegria era a minha alegria.
Tua felicidade a minha felicidade.
E teus passos seguiam meus passos.

Falei-te seguro do que contigo faria.
Serie teu guia na terra,
Teu guardião e tua sombra.
Onde estiveres não haverá trevas.
Carregarei teu fardo.
Enfrentarei os lobos de teus caminhos.
Serei teu agasalho nas noites de frio,
E teu cajado a ti apoiar pela vida.

Nunca serei saudades em teus pensamentos.
Nem imagem de sonhos que não se realizam.
Serei a eternidade no teu sempre.
Serei teu amante sem marcar o tempo.
Serei a continuidade de tuas próximas
Vidas.


Carlos Neves

Carlos Neves


(Imagem colhida na net)



Amei

Eu amei aquela mulher...
Ahhh... Como amei aquela mulher.
Amava tudo que ela fazia,
Tudo que ela dizia,
Tudo que dela eu recebia.

Mas veio uma tempestade
E tudo que eu amava naquela mulher,
Foi levado... Tirado de mim.

Mais uma mulher veio e amei,
Mais uma vez.
E mais uma vez a tempestade veio
Levando de mim tudo que eu amava.

E mais uma mulher veio...
E desta vez eu implorei a tempestade
Que não levasse meu amor,
Que eu guardei por tanto tempo
E nunca dei como pensei.


Carlos Neves

Carlos Neves


(Imagem colhida na net)



Tempo de Amar.

Ainda que o tempo pare
No tempo da existência
Do nosso amor...
Ainda que tudo a nossa volta,
Desapareça diante do ato
De nosso amor no tempo sem registros...
Ainda que haja juras,
De que a eternidade perdure
No tempo do tempo eterno,
Que ficará eternizado,
Este amor que foi criado
Pelo tempo que a nós determinado,
Pelo tempo no sempre assinalado...
A mais pura paixão existida entre nós,
Foi nosso tempo assim criado
Para que tu por mim fosse amada.

Carlos Neves

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

21 de setembro

Hoje dia 21 de setembro comemora-se o "Dia Internacional da Paz". Que essa paz comece dentro de cada um de nós e se estenda a todas as pessoas. Às redes sociais, onde percebemos que algumas pessoas as usam para fazer discriminações e atacar verbalmente uns aos outros. Portanto que a PAZ, venha através de nossas atitudes e ações de uns para os outros.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Denise Fontes






Aconteceu-me, meu amor,
amar-te
num outono qualquer,
inexorável tempo
em que as... flores
se despedem.

Mas amei-te tanto,
na magia da loucura,
e esse teu corpo,
enfeitado
de guirlandas de quimera,
quantas vezes
desfolhei
em lentos golpes
de prazer
alimentados
de espera?

Sublinhava meus dias
de esperança
quando
talvez
já fosse o tempo
em que se anunciasse
breve
a noite e o cansaço,
e as ânsias
contidas
pesassem no peito
bem mais do que
passos
acorrentados.

Denise Fontes

Denise Fontes




Pesa o tempo sobre mim.
Desfolha-me a pele tingida,
resseca ainda mais
meus olhos baços.
Atravessa-me
com a prateada transparência
das asas de anjos
perpassando as almas que amei
enquanto me fugiam
para as bandas de Deus
ou do Diabo.

Denise Fontes

terça-feira, 18 de setembro de 2012

André Gandolfo



A RECOMPENSA

Tente investir na ternura e no carinho, mesmo que isso pareça, para muitos, um sinal de fraqueza ou de ilusões de quem acredita em coisas boas. Não tema ser doce, ingênuo, puro e sensível, ser assim é ser realmente grande, e ter a capacidade de perceber o mundo de um modo que a maioria das pessoas não capazes. Distribua amor por onde passar, e não espere retribuição dos outros, pois só o amor que você partilhou será capaz de dar a devida recompensa, sempre na forma de paz de espírito. (Gandolf_

André Gandolfo

Maria Conceição Gonçalves Lopes (Sao Sendim)




''VOAR"

Para aprender a voar bastava
o começo e o fim
de uma linguagem pessoal,
em que as mãos, impacientes,
despissem a paisagem
e, apenas por um instante,

se tornassem asas...

Sao Sendim

Luiza Caetano


Antônio Poeta


Luna


Jane Rossi


Mando Mago Poeta


Amarilis Pazini Aires


Mando Mago Poeta


Mando Mago Poeta


Iza*Bel Marques


Cecília Fidelli


Luiza Caetano


Luiza Caetano


Luiza Caetano


Amarilis Pazzini Aires


Antônio Poeta


Luiza Caetano


Luiza Caetano




ENCONTRO

Luiza Caetano

As mãos nas mãos
dessa primeira vez

como música
no interior das veias
dum silêncio nervoso
e perturbado

Entremeias à beira mar
dum mar quase anoitecido,

mãos nas mãos
como se mal tivesse nascido.

As palavras quase a medo
murmuradas
na atlântica capela sistina

entre os lábios do mar
e a sina da maré cheia

Mãos nas mãos,
surpreendemos a areia
numa prece de rezar

Luiza Caetano


Luiza Caetano


Luiza Caetano





(Imagem internet)

DOS PEIXES ENDOIDECIDOS


Adormecida
como uma deusa
quase morta

à beira do lago
onde a água
era lisa como o silêncio
e a sombra
era azul de catedral

Na margem inversa
da vida
onde tudo era quase irreal

Quando alarde chegaste
habitada de pontes
e de peixes
endoidecidos
entre a volúpia do mar
e a candura da tarde.

Lá onde moram os pássaros
e os corpos se tocam sem pecado


Luiza Caetano

domingo, 9 de setembro de 2012

Luiza Caetano

Daria tudo por um retorno ao sonho
Teimaste
em ser realidade
me ancoraste em tuas águas profundas

Não!
...não quero discutir
a côr do Amor
nem a cor do teu corpo amado

Que importa... o que importa?
se
também não quero
esquecer
as horas de paixão
devorando-nos
com uma raiva ou um amor de séculos

nosso amor sem pudor
é

Júbilo!
Dádiva!
Inferno!
Céu!
altar das nossas preces

Que importa... o que importa?
se em
ti
eu fico tão ardente! tão contente!

rebento os segrêdos,
esqueço
meus mêdos
e
deixo a LUZ
entrar

Que importa... o que importa
meu amor,

se
o mais difícil
é viver
com escamas de vidro
nas entranhas?

Sabes?
daria tudo por um retorno ao sonho

Meu sonho és TU !

Luiza Caetano

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Luiza Caetano - "ERA"









E R A


Era a noite
das nebulosas
tumultuosas e belas
como corpos
luminosos de Chagall

Pleiade de astros
e de estrelas
asas aladas
como cavalos voadores
rumores de festa
e de adeuses
em plena aurora boreal.

Era a música
se escoando
pelos espelhos
interminável e efémera
na absurda transparência
das lágrimas

Era!



(Luiza Caetano)

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Bienal do Livro Internacional de São Paulo 2012

E, chegou o dia que eu tanto esperava!

Lá fui eu, a caminho da Bienal do Livro Internacional 2012 em São Paulo.
Caminhar no meio de tanto livro, sinceramente me deixou arrepiada.
Como é possível, existirem pessoas que nunca tiveram a alegria e a satisfação de pegar um livro nas mãos, saborear as palavras e viajar no tempo e no espaço da literatura.
Pobre país que não dá chance a todos, um país sem leitura não é nada.








Diretamente ao estande da Editora Delicatta, que alegria!
Luiza Moreira, encabeçando e realizando sonhos..editando poetas e escritores, com grande maestria e muita responsabilidade, tudo muito bem organizado... Eu diria perfeitissimo.
Mas, a alegria maior ainda estava a caminho. E aconteceu quando olhando para o lado deparei-me com Carmen Fossari em carne e osso.Que enorme alegria senti ao abraçar de encontro ao peito alguém a quem a tantos anos admiro e estimo.








Lá estava ela, linda deslumbrante com um sorriso nos lábios de fazer sorrir a quem para ela olhasse. Depois dos abraços efusivos, trocamos algumas palavras e assim decorreu à tarde de autógrafos do lançamento de “Lua, Palavra Nua” de Carmen Fossari.






Ao encontro desta maravilhosa Poetisa.Membro da ACLA(Academia Catarinense de letras e Artes)Poemas publicados no Chile, México, Argentina, França, Portugal e Espanha escritora, diretora de teatro, atriz, diretora do Grupo Pesquisa Teatro Novo e Coordenadora da Oficina Permanente de Teatro ambos da UFSC.