Seguidores

terça-feira, 22 de maio de 2007

Da amiga Carmen Lúcia Fossari

SE

carmenfossari

Se eu pudesse seria poesia
Tecida num xale de afetos
Bordada em flores e mais leve que a pluma
Tocaria a borda de tua epiderme
Num sopro suave tentaria afastar
Os zéfiros ventos de vida e ser

Se eu pudesse carimbaria de sorriso feito
A imagem de estares agora e depois

E acaso a vida deixasse
Seria uma chama que ao consumir
Um rarefeito ar
Pouco a pouco deixaria de ser
Para que o calor te abraçasse inteiro


E já não mais sendo saber a si
Unificado, meus pedaços de não mais ser
Transformar-se-iam em cânfora para reconfortar
Teus pés de pisadas estradas em arenoso
Traçado a solapar a bússola que indica o caminho das estrelas

Nada posso e tudo quero
E quero para que possas vagar como
Os vaga-lumes que nos trazem pontos de luz na noite escura
Como se abelha tu homem também, fosses capaz do mel
E do favo doce, prazeirando a vida

E se assim te soubesse, já me bastaria saber a mim
Uma ponta da estrela guia,
Esta mesma que te há de devolver
A si em tu mesmo de estares
Plenamente tu, nu de dores
No dorso do amanhã, que te espera.

2 comentários:

carmen fossari disse...

DOLORES, JARDIM DOS SBERES

Primeiro tenho que agradecer, a tua amizade , que me é preciosa, sois de fato um Jardim e, nos sentimentos que assim flocesses tua familia se expandem ainda as raízes de amor aos amigos e amigas.
Uma alma sensível, de lusitana nascida e criada, de brasilidade teus frutos, que maravilhosa fusão, rompestes em amor a linha do Equador.

E esta tua magnitude, tão rara dedicada ,doar-se a diário em delicatessens, que raridade ser tua amiga, outro agradecimento e claro um pedido, que os anjos, santos , querubins, apenas continuem do teu lado, nada mais, que tudo é poesia e plasma. Beijim
carmen fossari

Anônimo disse...

Obrigado por Blog intiresny