Seguidores

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

ESCRITORES DA LIBERDADE POR JULIO TEIXEIRA






Este prêmio (Escritores da Liberdade) traz oculta em sua tragetória, que espero seja longa, algo de extraordinária importância traduzida numa palavra: Liberdade. Liberdade no uso da palavra escrita, exercitando a expressão mais simples do pensamento livre... E sem medo!

Pois assim como a arte tem incontáveis formas de se a olhar, também a palavra tem quase infinitas vozes. Pena que muitas ainda se calem!

Embora no silêncio pensem, e o pensamento crie tanto ou mais que a palavra.

Por outro lado vão também muitos retóricos... Que hoje já nem tanto... Já nem tanto retóricos, bons retóricos, naturalmente. E o que desses se ouve são mesmo só impropérios retóricos, vejam que absurdo, a que ponto nós chegamos!

Impropérios retóricos? O que é isso? Nada, é tudo que eles dizem nada!

Sempre, todavia armados contra algo ou alguém, indo sempre por uma via escura e mal freqüentada a vociferar impropérios e blasfêmias, se tiverem e forem (os outros) aquilo que eles não têm ou não sabem... Algo a que a inveja lance as suas garras cobiçosas em direção ao OUTRO...

Pois não é que este anseio de liberdade celebrado neste prêmio, “Escritores da Liberdade”, revela também um mote magnífico, o Outro!

Quão difícil é lidar com o outro!

Mas, quem é o outro?

Depende de quem observa.




Se o observador estiver perto e em casa, pode o outro ser o oposto, no casa de um casal...

Quando, porém o Outro é o Outro idealizado... O ente político contrário ideológico, o inimigo mortal que deve ser eliminado, seja este quem for do outro lado, seja a tal de “zelite”, segundo a ótica deles, e caso ainda sejam estes observadores da esquerda dita burra... (Deus nos acuda)

Burra diz-se porque é por natureza “acéfala esférica”, pensando apenas rudimentarmente com o lado esquerdo do cérebro, na base rude da militância, enquanto uma nova zelite retórica de uma só via, também, já vai instalada ou encostada em algum gabinete...

E eis, pois os construtores de “Impropérios Retóricos”!

E os espalhadores ao vento de impropérios retóricos são então o contingente da militância, e os pensantes construtores esses outros, já “engabinetados” na máquina, que afinal são eles agora situação!

Todavia até entre eles há esta mesma polaridade, e se o chefe do gabinete em frente tiver um carro novo, o mínimo que este observador menor lhe deseja é que fure o pneu, porque afinal hoje este pequeno observador está de bem com a vida, seu time ganhou e amanheceu melhor e menos cobiçoso do bem alheio, ou do outro...



E então a liberdade dos livres, e o inferno daqueles que morrem de inveja do bem do outro são os pólos opostos deste pequeno ensaio.

Há, todavia uma diferença brutal entre eles, pois enquanto os livres falam com a razão e com a alma e são apenas o outro para o invejoso, a estes só resta o inferno da desinformação e as crenças levianas e cachaças acompanhadas por uma côdea, seja de pão, seja de esperança.

Mas também devido à pobreza de espírito daqueles, os livres passam a ser alvo dos escravos da cobiça. E aí os livres e agora apenas o outro, se não se puder tomar a liberdade e a tudo que neles reluz, se lhe tome então a vida ou no mínimo o que ele mais quer...

E aos seus mitos e padrões de civilização culturais celebrados em valores de espírito e de família destruam-se todos, seguindo a cartilha do Italiano e do Francês que morreu de AIDS...

Cujo ideal da cartilha já esta cristalizado numa forma muito próxima ao código dos sindicatos do crime no Foro de São Paulo, que de algum modo governa.

Ah, mas estes rapazes e estas moças envolvidos com “botecos sombrios e cachaças de péssima qualidade”, gerundismos e verborragias da moda e encostados na máquina, enquanto a maioria eternamente à margem, mas acreditando, como revelam bem as duas faces dos criadores de “impropérios retóricos”! (riso)


Rir para não chorar, por ser este o tempo deles! E numa gigantesca onda cujo movimento... Oriente Ocidente, Europa América... Está mesmo por aí!

Mas também junto veio o anseio coletivo dos livres, plasmando o Bem, Bom e Belo, e desde muito remotamente vêm vindo cautelosos vigiando o andar da evolução.

Sim. Por mais nobre seja a taça de cristal só terá real valor e serventia contendo raríssimo e eucarístico licor, ou porque não um especialíssimo vinho, para não se falar já em essências ainda mais caras, e raras!

Mas freme, sim, no alto do mastro a bandeira da liberdade e da amizade sincera, e ainda bem que são invisíveis aos criadores de “impropérios retóricos”!

Todavia cautela, pois são ladinos; e, desconfiados, podem deduzir... Sabem também muito bem bajular, e para isto fiquemos nós os livres sempre atentos.

“Impropérios retóricos”! Acontece cada uma, que até parece duas!

Viva a Verdadeira Amizade e vivam para sempre os “Escritores da Liberdade”!


Estou ainda viajando e venho aqui prestar minha homenagem a todas as amigas(os)
e agradecer à Ana Paula pelo Prêmio a mim conferido e também à sua idealizadora Dolores.
muito, mas muito obrigado mesmo. amigas!

A caráter escrevi com a tônica da liberdade essa mensagem acima dedicada aos amigos e amigas da Of...

Obrigado

(POR JULIO TEIXEIRA)

4 comentários:

Dolores Quintão Jardim disse...

Amigo Julio
Boa-tarde.

Primeiramente,quero cumprimentá-lo por fazer parte dos "ESCRITORES DA LIBERDADE".O amigo sempre foi um escritor da liberdade..liberdade para falr com muita propriedade de vários assuntos.
Tem muita picardia, e sabe falar de política nas entrelinhas,que para nós que vivemos aqui,não fica difícil saber qual é o assunto e quem são as pessoas envolvidas.

Escreve com sabedoria.

Parabéns! belo texto! com sua licença,vou colocar no meu blog.


Queria dizer-lhe que não fui eu quem criou o "PRÊMIO ESCRITORES DA LIBERDADE",

foi uma pessoa que tem um blog que se chama BATOM COR DE ROSA"!(lindo nome)

E através de nosso amigo poeta de Portugal JOÃO JACINTO,chegou até minha pessoa.



E, assim caminhamos eu nomeei como era a regra da criadora do mesmo e as pessoas que eu criei foram fazendo o mesmo.

Dessa maneira, teremos um rol de blogs premiados,para incentivar as pessoas à continuação dos mesmos.

Falando nisso, estive em seu site e não vi o seu PRÊMIO lá.

Precisa copiar a chave que é o PRÊMIO e colocar em seu seu site com o seu testemunho,nomeando os seus escolhidos.

Boas férias!

Volte logo..e venha sempre tomar café conosco.

Abraços.

Dolores.

Júlio disse...

Amiga Dolores, isso é mais que uma homenagem e eu nem sei como lhe agradecer...
Sois mesmo uma Dama Superior de quem muito me orgulho da amizade.

Dolores Quintão Jardim disse...

Meu amigo sábio,meu sábio amigo!

Linda a sua visita pessoal,aqui ..sabe adoro visitar seu site www.icaroartes.com.br

Adoro tudo que escreve,adoro o amigo.

Obrigada,digo eu por ter sua amizade e sua companhia,apesar de ser virtual,sinto que já nos cruzamos algum dia...nem que tenha sido em outra galáxia....rsrs.

Grande abraço!
Mais uma vez meus Parabéns!

universo em poesias disse...

Dolres e Júlio,
estou colocando também o texto de nosso amigo Júlio em meu blogger.
Encantei-me com suas colocações meu amigo.
Parabéns amiga, seu blogger é um verdadeiro paraíso de paz.

Marta Peres