Seguidores

quinta-feira, 19 de julho de 2007

O MEDO DO DIA SEGUINTE


Momentos raros de ilusão
o sorriso na despedida
ficou parado até o avião levantar voo
talvez nem fosse aquele
e da primeira vez parecia uma tragédia
o desapego que nunca havia acontecido
raros momentos de aflição
que se foram banalizando
com os anos com o hábito
e os sentidos ficavam sempre alerta
sempre que saia do chão
na altura da aterragem
os olhos que brilhavam no escuro
das histórias do outro lado do mundo
de uma dimensão que não era paralela
apenas se lembrava que tinha de estar no regresso
para um abraço ou apenas alivio
por mais uma aterragem
para uma vida que não se queria forçada
apenas um abraço
um pouco de amor, sorrisos
de apenas os ver
nada mais era preciso...

Manuel Marques

4 comentários:

julio disse...

Dolores, tenho vindo aqui e só hoje, cego que andava não via "comentários". rsrs
este espaço tem a sua marca e cor, tonalidade e sentimento... muito bonito e bom de ficar por aqui... tem grande encanto.
seja feliz em tudo que faz minha grande amiga

Manuel Marques disse...

obrigado pela amizade! abraços!

Manuel Marques disse...

O titulo original deste poema é mais positivo: A vida é curta e cada segundo conta... fi-lo na última comunidade que criei no Orkut... numa noite de Lua Azul... quem percebe de astrologia dir-te-á o que significa... mas fica a homenagem...

Dolores Quintão Jardim disse...

Obrigada,amigos Julio e Manuel Marques..este blogue foi mesmo criado para homenagear os amigos e amigas.
Sem vocês,ele não existiria.
Beijos
Abraços